Repensando os hábitos de consumo e adotando um estilo de vida minimalista

Inspiração: Natália Grazziotin

Tenho falado bastante por aqui sobre transformação, né? Sempre achei que a transformação acontece de dentro pra fora, com pequenas revoluções internas que fazem uma grande diferença na vida. Pois foi o que aconteceu com essa garota, nossa primeira inspiração aqui no Projeto Nuvem de Cogumelo.

À primeira vista, Natália Grazziotin parece uma bonequinha. 31 anos, alta, magra, bonita, bem casada e que viaja pelo mundo: um prato cheio pra quem costuma colocar rótulos! Mas não se engane. Nati nunca ficou na confortável posição de princesinha doméstica. Trabalha desde os 18 anos, teve passagem por um dos programas de maior destaque do Canal Futura e foi uma das primeiras jornalistas do interior do Rio Grande do Sul a ter um blog de moda de sucesso, o Moça Fresca.

Mas depois de anos tendo a moda como sua grande paixão, Natália começou a questionar o próprio consumismo. “Eu estava frustrada, não sentia mais orgulho do meu trabalho. Mantendo um blog sobre moda, eu sentia que estava me tornando fútil. Eu tinha que estar sempre usando a última tendência, e aquilo foi me incomodando. O que eu fazia já não refletia mais a minha vida”, conta. A mudança de ares se deu depois que voltou de um intercâmbio de três meses no Canadá: “descobri o conceito do minimalismo e procurei pesquisar muito sobre o assunto”, diz ela.

Foi desse processo de transformação interna que nasceu o blog Minimallista, onde a jornalista fala sobre o conceito que ensina a viver com menos coisas e mais tempo. “Não é da noite pro dia que você vai conseguir ter uma rotina mais leve e que vai conseguir desapegar das suas coisas com facilidade”, assegura Natália. No minimalismo, as pessoas passam a escolher o que é essencial para viver, eliminando os supérfluos em todas as áreas da vida, como roupas, objetos, relacionamentos, trabalho. “O minimalista não deixa de consumir, mas o faz de forma pensada e consciente”.

foto-para-deni

Para ser minimalista não é preciso vender o carro e viver com apenas 100 objetos, como a gente vê por aí na internet. Mas o conceito ensina que não precisamos de muito para sermos felizes, e que fazer escolhas e eliminar o excesso de peso dos armários – e da vida – tem um efeito transformador.

Natália conta que ainda gosta de moda, mas que aprendeu a escapar dos excessos. “Desde que comecei o blog, tenho muito mais consciência sobre as minhas escolhas. Penso mil vezes antes de passar o cartão de crédito. Faço combinações mentais das peças que irão combinar com a nova escolha e só aí a levo comigo pra casa. E não pense que é feio olhar, olhar, olhar e não levar nada. Muito melhor deixar a vendedora irritada do que ter que conviver com um monte de coisa sem sentido no armário. Não acha?”

Hoje, Natália tem outra prioridade, que atende pelo nome de Valentin, de 5 meses. Com o nascimento do filho, o conceito do minimalismo ganhou força, o que a faz manter a vida com simplicidade. “Comecei com a roupa, mas hoje eu trago o conceito para a vida. Melhor do que não ter tantas coisas é não querer mais ter tantas coisas”, finaliza Nati.

É engraçado como a transformação acontece assim mesmo: começando com um incômodo, solitário, que vai se tornando maior e maior. E um primeiro passo fora da zona de conforto já faz toda a diferença para a mudança de vida. Assim foi com Nati, assim foi comigo, assim é com tanta gente que decide se transformar. E isso é descobrir a nossa essência!

A Nati foi nossa primeira inspiração por aqui. E você, conhece alguém que inspira a viver uma vida diferente? Mande sua dica para contato@nuvemdecogumelo.com.br ou deixe o seu comentário abaixo. Até a próxima!

  1. Natália Grazziotin

    dezembro 1, 2016 at 12:50 pm

    Deniiiii, que texto mais lindo! Fiquei emocionada, de verdade! Você conseguiu colocar em palavras de uma forma tão bonita. Obrigada pelo carinho, parabéns e sucesso com o projeto! Vou estar sempre acompanhando.

    Um beijo,
    Nati

    1. Deni

      dezembro 1, 2016 at 12:59 pm

      Nati, querida! Eu é que agradeço! Quando sentamos para tomar um café, há um ano atrás, tudo não passava de uma ideia minha… e depois de algumas reviravoltas da vida, resolvi colocar em prática o projeto. Obrigada pelo apoio! Beijocas!

  2. Denise Serafini Furtado

    dezembro 1, 2016 at 10:08 pm

    Parabéns!!!!!! Para as duas…. adorei!
    Preciso começar isso…. não sei por onde. Que tal um post sobre isso?

    1. Deni

      dezembro 6, 2016 at 1:26 pm

      Denise, ótima pauta… hehe! Vou pensar em um texto sobre como começar aos poucos… como eu estou fazendo. É uma transformação e por isso pode ser devagar e no nosso ritmo. O importante é começar! Beijos!

Comments are closed.